Como o Pilates pode ajudar a tratar a dor

 
jesper-aggergaard-495757-unsplash.jpg

Quem nunca sentiu dor no corpo? Às vezes, isso pode ser algo passageiro, como uma noite mal dormida, uma posição desconfortável no travesseiro, ou aquele cansaço em excesso que ainda não foi superado. Porém, outras vezes, a dor pode ser causada por diversos motivos, tais como: má postura, disfunções musculares, falta de condicionamento físico, entre outros. E ainda há o estágio mais avançado da dor: a dor crônica.

A boa notícia é que existem muitas formas de aliviar os sintomas da dor ou até mesmo erradicá-la. Uma delas é, sem dúvidas, o método Pilates, um verdadeiro aliado para quem deseja realmente melhorar a qualidade de vida. Atualmente, muitas pesquisas científicas estão utilizando o Método como intervenção terapêutica para diversas patologias e obtendo excelentes resultados.

Mas o Método não entra em cena sozinho. Para ajudar você nesse tratamento da dor, alguns fatores são fundamentais:

  • a orientação de profissionais qualificados no Pilates e nas práticas terapêuticas aplicadas - fisioterapia e psicologia;

  • estudos científicos, abordagem individualizada;

  • ambiente com infraestrutura e acolhimento ideal para minimizar os efeitos causados pela dor.

Tudo para que o resultado seja realmente a melhora da qualidade de vida. Como isso é possível?

Adaptar é o melhor exercício

O método Pilates possui um grande repertório de exercícios e o ideal é adaptar os mais indicados, conforme a necessidade do aluno. Daí, o resultado é só uma questão de tempo e de muita dedicação.

O Pilates, além de ajudar na melhora do condicionamento físico, tem sido utilizado para reabilitação em geral, contribuindo de forma efetiva no combate às dores crônicas como a da região lombar e cervical. Como? Através de um protocolo terapêutico adequado individualmente e com alguns objetivos a serem alcançados:

  • Melhora do condicionamento físico - função;

  • Desenvolvimento do equilíbrio, da flexibilidade e da consciência corporal;

  • Aumento da força e da resistência muscular;

  • Melhora da capacidade respiratória.

Quem já se tratou com Pilates e vive sem dor

Muitos alunos notam em pouco tempo essa mudança e quando percebem, o método já faz parte da rotina, agora, sem dores. “Pilates pra mim é uma vida com menos dores e com mais equilíbrio e flexibilidade corporais”, comenta a aluna Osana Ekizian.

Já para Rozi Araújo: “Pilates é ter uma melhor consciência corporal, conhecendo e melhorando suas limitações. É se exercitar sem dor!”, o que também é compartilhado pela jornalista Renata Caetano, que diz: “com o pilates passei a ter muito mais qualidade de vida, inclusive evitando que eu me ausentasse do trabalho por causa de dores que eu costumava ter antes de fazer pilates”.

Sabemos que a dor interfere na qualidade de vida, mas também sabemos que o método Pilates pode promover ótimos resultados. Fica o convite para uma conversa comigo e com a nossa equipe.

Luciana Cazotti é fundadora, proprietária e diretora técnica do Global Pilates, é mestre e doutoranda em Ciências da Saúde Aplicadas à Reumatologia e pós – graduada em Fisiologia do Exercício pela UNIFESP. PMA® –Certified Pilates Teacher. Pós-graduada em Dor pelo Instituto Israelita Albert Einstein, além das formações e experiência no método Pilates, possui trabalhos relevantes na área científica. É co–autora do artigo científico “Pilates improves pain, function and quality of life in patients with chronic low back pain: a randomized controlled trial”, autora do artigo científico “Effectiveness of the Pilates Method in the Treatment of Chronic Mechanical Neck Pain: a randomized controlled trial. Participou de workshops nacionais e internacionais, como: ISP - Injuries & Special Populations (STOTT PILATES®); Pilates Leader Programme; GARUDA® Seated and Standing;  GARUDA® Dhara e GARUDA® Foundation; e com Ricardo Jaramillo, Montse Cosin, Juan Castellano (Espanha), Beth Kaplanek, Brett Howard, Dana Santi, Benjamin Degenhardt e Brent Anderson (EUA), Michael Alan King (Inglaterra), Allan Menezes (Austrália), Jean Claude (Alemanha) e Cecília Panelli (Brasil). Tem realizado apresentações científicas e como palestrante nos últimos cinco anos no American College of Rheumatology (San Diego, 2013), no Congresso Brasileiro de Reumatologia (Recife, 2013),  no Congresso Brasileiro de Pilates (São Paulo, 2014-2017) e Meeting Internacional de Pilates( Paraíba, 2018).